Por que eu odeio morar num lugar frio
por Caroline Camargo

Gente, compartilho este post com vcs q achei o máááximo….
Olhem o blog dela, vale a pena: http://carolinecamargo.wordpress.com/

Aff… Cadê minhas meias?

Quem mora no calor de 40 graus do Rio de Janeiro, volta e meia deseja subir a serra para poder desfrutar do friozinho romântico, tomar um chocolate quente, abandonar os shortinhos e as Havaianas para utilizar sobretudo e botas, etc. Vai fazer 2 anos que moro em Petrópolis, lugar frio pra danar (bom, para carioca 20° já é frio), sendo que, desde 2002, já subia e descia a serra semanalmente. Estar sempre aqui é muito diferente de morar aqui. A cidade é uma graça, bem cuidada, porém… Ao final do texto, quero que me digam, onde está o glamour?

Bom, para evitar problemas de interpretação, vou deixar claro dois pontos: primeiro, não odeio o frio, o que odeio é MORAR num lugar frio; segundo, estou falando da minha experiência em Petrópolis, portanto, pessoas que moram em outros lugares que também fazem frio podem não se identificar com a maioria das coisas que postarei aqui. Enfim, acho que já posso começar…

Coisas que descobri ao morar em Petrópolis:

Quem nunca teve rinite, sinusite, amigdalite e as demais “ites”, terá;

quem nunca sofreu de problemas respiratórios, sofrerá;

quem nunca deu valor ao sol, dará;

quem só conhece ar condicionado e nunca viu um aquecedor na vida, verá;

quem nunca achou tentador ficar debaixo das cobertas num sábado a noite, enquanto está tendo um show de sua banda preferida em frente a sua casa e que você não sabe quando, nem se ela voltará novamente, achará;

quem cozinha e nunca teve a surpresa de descobrir que seu gas estava congelado, terá;

quem nunca teve a experiência de pendurar a roupa no varal molhada e ao recolhê-la perceber que a água não tinha secado, mas se transformado em gelo, terá;

quem nunca sentiu as quatro estações do ano num dia só, sentirá;

quem nunca entendeu por que existem pessoas por aqui que, apesar de estar um sol de rachar, estão encapotadas até o pescoço, por causa do item anterior, entenderá;

quem não curte chá, café, caldos, sopas ou qualquer bebida/comida quente, curtirá;

quem nunca pensou que atos simples como lavar as mãos, o rosto ou um copo pudessem ser uma tortura, perceberá que tais coisas poderiam ter sido ser utilizadas pelos militares na época da ditadura, sim;

quem nunca entendeu como uma pessoa pode estar com aquela nhaca as 7:00h da manhã num ônibus lotado, a ponto de encomodar a todos com seu cheiro, entenderá (aqui eu sempre penso “coitado, seu chuveiro queimou” ou ”sua roupa limpa que estava no varal não secou”);

quem já se desesperou porque chegou uma visita em casa e percebeu que não tinha água gelada na geladeira para oferecer, aqui não há essa preocupação, pois a água já vem gelada naturalmente do filtro;

aqui não importa se sua pele é oleosa,  ela sempre estará ressecada e, seus lábios, rachados;

aqui não importa se você está indo a uma festa chique, se o frio resolver baixar no meio do caminho, você se enfia naquele casaco laranja fluorescente com listras verdes infinitamente maior que você, cedido gentilmente por seu amigo e fica feliz da vida;

quando você procurar Petrópolis em tempo real via satélite, é provavel que encontre tudo branco, por causa da frequente neblina que assola a cidade;

se você tem algum lugar especial para ir, trate de preparar sua roupa com semanas de antecedência, pois com certeza ela está literalmente mofada e você precisará de bastante tempo para lavá-la e secá-la, depois disso, não poderá guardá-la novamente, porque senão, no ”dia D” ,você terá uma supresa: manchas esbranquiçadas e o cheiro insuportável já terão se instalado nela novamente (aqui, apenas as roupas que você usa todos os dias não mofam);

tudo o que você lava, pode demorar semanas para secar e, no final, estará com cheiro de cachorro molhado. Então, trate de comprar um secador de roupas se não quiser ficar esperando inutilmente o próximo dia de sol, que nunca chegará;

seu corpo fica todo duro e um simples alongamento pode fazer com que você se sinta como uma jovem senhora de 70 anos;

as belas cachoeiras e as piscinas daqui foram feitas apenas para serem olhadas;

quando um feriado cai numa quinta-feira com direito a emendar a sexta, significando que terá quatro dias para fazer o que quiser, depois de tanto pensar, perceberá que não existe ideia melhor do que passar todos esses dias jogado num sofá, de meias, luva e touca, levantando apenas para comer e ir ao banheiro. Para falar a verdade, dará graças a Deus por não ter que enfrentar aquela ventania e chuvarada para ir a qualquer lugar que seja, a não ser que seja um bem longe daqui, onde exista sol, muito sol;

aqui você está sempre mais gordo, seja pelo excesso de comida, seja pelo excesso de roupa que se usa.

Ponto positivo: você pode colocar sua maquiagem tranquilamente. Aqui, você não corre o risco de suar e melecar a cara toda.

Pois é, passar uns diazinhos por aqui e falar que ama tempo frio é mole! Quero ver morar e sobreviver!

viaPor que eu odeio morar num lugar frio « Caroline Camargo.